Ir direto para menu de acessibilidade.
Brasil – Governo Federal | Acesso à informação
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

IFPA apresenta Política de Meio Ambiente

  • Publicado: Terça, 18 de Junho de 2019, 17h04
  • Última atualização em Terça, 18 de Junho de 2019, 21h29
  • Acessos: 195
imagem sem descrição.

Na quinta-feira, 13 de junho, a Comissão Central de Meio Ambiente do Instituto Federal do Pará (IFPA), durante reunião, apresentou a Política de Meio Ambiente. Na ocasião, buscou-se discutir a reestruturação das Comissões que cuidam do tema nos campi e necessidade de atualização dos prazos para apresentação do Plano Institucional que contempla as ações a serem desenvolvidas nos próximos cinco anos.

Desde 2016, o IFPA vem buscando elaborar o Plano de Logística Sustentável (PLS) para atender à determinação da Instrução Normativa Nº 10, de 12 de novembro de 2012 que estabelece as regras para elaboração do Plano de Gestão de Logística Sustentável. Este último contempla as orientações da obrigatoriedade dos órgãos públicos destinar às associações e cooperativas de catadores os materiais e resíduos recicláveis conforme determina o Decreto Nº 5.940 de 25 de outubro de 2006. Com base nestes documentos, a Política Institucional de Meio Ambiente do IFPA foi criada por meio da Resolução 173/2017–Gabinete da Reitoria do IFPA.

A Pró-reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional (Prodin), por meio da Comissão Central de Meio Ambiente, elaborou a minuta do PLS que foi aprovada pelo Conselho Superior por meio da Portaria Nº 2446/2018/ Gabinete da Reitoria do IFPA. Por esta Portaria, a Reitoria e os Campi foram autorizados a estabelecer práticas de logística sustentável e racionalizar os gastos em suas unidades durante a gestão 2019 a 2023.

Nesta reunião de quinta-feira, a Comissão Central apresentou as ações ambientais que o IFPA deverá pôr em prática, tais como: promover a ampla divulgação da Política de Meio do IFPA; desenvolver ações sistêmicas, articulando a comunidade interna para a execução da Política Institucional de Meio Ambiente; cumprir a legislação ambiental; realizar o diagnóstico ambiental das atividades pedagógicas e de gestão da Política Ambiental; elaborar o Plano de Logística Sustentável; elaborar os relatórios anuais de Ações e Metas Ambientais; e divulgar os resultados desta política.

Os participantes da reunião tiveram a oportunidade de opinar sobre os objetivos, indicadores, metas, estratégias, estabelecer prazos e indicar os responsáveis pela execução de cada ação. O PLS inclui um inventário de bens e materiais do órgão ou entidade e identificação de similares de menor impacto ambiental para substituição; práticas de sustentabilidade e de racionalização do uso de materiais e serviços; responsabilidades, metodologia de implementação e avaliação do plano; ações de divulgação, conscientização e capacitação; e elaboração de relatório de acompanhamento de ações de implementação PLS.

Participaram da reunião presencialmente membros da Prodin - Vanessa Souza Alvares de Mello e Suellen Souza Ramos; via webconferência, os membros da Comissão Central e das Comissões Locais do PLS: Campus Abaetetuba - José Pinheiro; Diretoria de Tecnologia de Informação (DTI) da Reitoria - Jorge Valente; Campus Conceição do Araguaia - Simone Pereira de Oliveira; do Campus Altamira - Rafaely Moreira Sabbá Neiva e Frederico Miglio Neiva; Campus Parauapebas -Tuani Ladeira; do Campus Belém - Cleber Silva e Silva; Campus Rural de Marabá - Manuel Fábio; Diretor Geral do Campus Marabá rural – Manuel Fábio; Campus Castanhal -Karen Tamiles Barreto Monteiro Barbosa.

A Coordenadora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional, Suellen Souza Ramos, explica que os servidores que participam da Comissão Local de Meio Ambiente terão até duas horas semanais para lançar em seu Relatório de Atividades Desenvolvidos (RAD) e que as ações de sustentabilidade serão desenvolvidas de forma integrada entre os campi e Reitoria conforme está previsto no Plano de Ações Ambientais. Relata ainda que foram criadas comissões em todos os campi e as mais bem estruturadas são de Abaetetuba, Altamira, Bragança, Parauapebas, Avançado Vigia, Conceição do Araguaia, Itaituba e Marabá Rural. “As campanhas e materiais promocionais não deverão ser em folderes para evitar a poluição e uso de material de forma desnecessária. Deveremos pensar uma maneira, talvez informativos digitais, utilizando mídias sociais, entre outros”, ressalta.

A Comissão definiu que a sustentabilidade deverá ser abordada de forma interdisciplinar e dentro do processo de curricularização da extensão, adotando estratégias que possam ser adicionadas aos PPCs como parte do Plano de Curricularização como, por exemplo, encenações/teatros. Firmar parcerias com as Secretarias de Meio Ambiente e Departamento de Educação Ambiental dos Municípios, também deve ser uma ação articulada pelos Campi.

registrado em:
Fim do conteúdo da página