Ir direto para menu de acessibilidade.
Brasil – Governo Federal | Acesso à informação
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

IFPA fomenta a inovação

NIT promove treinamento de Agentes de Inovação e realiza curso de Redação de Patentes e Empreendedorismo com foco em Inovação

  • Publicado: Sexta, 08 de Novembro de 2019, 20h34
  • Última atualização em Sexta, 08 de Novembro de 2019, 20h34
  • Acessos: 163
imagem sem descrição.

 

Uma proposta para inclusão digital de comunidades ribeirinhas em Tucuruí, um serviço de mobilidade urbana em Itaituba, o desenvolvimento de tecnologias para reprodução do Tambaqui, uma pulseira assistiva de apoio a pessoas com deficiência visual, a análise do potencial carrapaticida da planta pinhão-roxo. Todos esses projetos desenvolvidos no Instituto Federal do Pará (IFPA) têm uma coisa em comum: a inovação.

 

Esses são alguns dos projetos já fomentados pelo Auxílio a Projetos de Inovação e Pesquisa Aplicada (Apipa), que ao longo de quatro anos já promoveu o desenvolvimento de mais de 30 projetos de inovação. O Apipa é um edital lançado pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (Proppg), que fomenta a inovação através de treinamentos realizados ao longo do ano pelo Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT). Criado em 2014, o NIT tem como finalidade a criação e o gerenciamento da política de incentivo à inovação e à pesquisa científica e tecnológica, bem como a viabilização de estratégias e ações relacionadas à propriedade intelectual nos âmbitos interno e externo do Instituto.

 

O IFPA também estimula o registro da propriedade intelectual resultante dos projetos de inovação. Para isso, as pesquisas devem ser realizadas e os produtos ou processos criados e testados, depois o NIT avalia o potencial de inovação dessas criações e viabiliza os meios para a proteção através de depósitos de patente, registro de software, dentre outros tipos de proteções garantidos pela legislação brasileira. A inovação só se completa quando os resultados das pesquisas são utilizados para resolver problemas, garantindo uma melhoria econômica, cultural e/ou social.

 

“No IFPA temos mais de 100 grupos de pesquisa que se dedicam à realização de pesquisa aplicada com o objetivo de gerar inovação. Somos pioneiros em nossos cursos de licenciatura, no desenvolvimento de Tecnologias educacionais com o objetivo de melhorar o ensino e aprendizagem da educação básica. Possuímos também vários campi que trabalham com Tecnologias sociais na área das ciências agrárias visando o desenvolvimento das comunidades e cooperativas que estão em torno do arranjo produtivo local do Campus. Além disso, possuímos grupos de pesquisa voltados para o desenvolvimento de novos produtos para a indústria, o que está cada vez mais sendo demandado das instituições de ensino”, conta o Diretor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação da Proppg, Saulo Silva.

 

O investimento em inovação também reflete nos cursos ofertados, os quatro programas de mestrado existentes no IFPA são da categoria de Mestrados Profissionais, onde se exige que o aluno investigue e proponha a solução de um problema ou proponha melhorias em um processo ou produto. Esses cursos são voltados prioritariamente para a formação de profissionais que já se encontram no mercado de trabalho, a fim de que possam inovar em suas funções e atribuições dentro da organização da qual fazem parte.

 

Os pesquisadores que estiverem desenvolvendo pesquisas inovadoras podem procurar o NIT para mais informações sobre como proteger a tecnologia desenvolvida. Interessados também podem se inscrever no curso “Redação de Patentes e Empreendedorismo com foco em Inovação”, que acontece nos dias 18 e 19 de novembro, na modalidade online. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até o dia 14 de novembro.

 

Agentes de Inovação

 

Nos dias 27 e 28 de novembro, o NIT vai realizar um treinamento para os Agentes de Inovação, que têm o papel de contribuir com o processo de inovação e empreendedorismo da Instituição. “Eles vão ser um elo entre os campi e a reitoria, vão nos ajudar bastante a orientar os pesquisadores e os alunos que querem informações sobre como proteger o conhecimento e as tecnologias. Além disso, os Agentes vão nos repassar muitas informações acerca de laboratórios, das instalações e do potencial local, justamente para que possamos buscar parcerias com empresas também”, explica o Coordenador do NIT, Elissuam Souza.

 

Os 21 Agentes de Inovação foram selecionados através de uma Chamada Interna, que aconteceu entre os meses de agosto e setembro. “A atuação deles através da rede de Agentes de Inovação, que estará vinculada ao Núcleo de Inovação Tecnológica, será de fundamental importância para o estabelecimento e fortalecimento da cultura da inovação no IFPA”, destaca Elissuam Souza.

 

Todas essas medidas fazem parte da nova política de inovação aprovada pelo IFPA. A política vem atender à recente aprovação da nova lei de inovação brasileira, que traz mais subsídios e segurança jurídica para que as Instituições de Ciência e Tecnologia façam parcerias com o setor produtivo para o desenvolvimento de processos e produtos que atendam às demandas desses setores, como empresas e cooperativas.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página