Ir direto para menu de acessibilidade.
Brasil – Governo Federal | Acesso à informação
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

IFPA desenvolve curso EAD de formação para professores de Educação de Jovens e Adultos

  • Publicado: Quinta, 28 de Novembro de 2019, 12h26
  • Última atualização em Quinta, 28 de Novembro de 2019, 12h26
  • Acessos: 286
imagem sem descrição.

 

Desenvolver ações para promover uma Educação de Jovens e Adultos – EJA de qualidade no nosso estado. Esse foi o objetivo central da reunião que uniu representantes de dez campi do Instituto Federal do Pará – IFPA e a Pró-Reitoria de Ensino – PROEN, no auditório do Centro de Tecnologias em Educação a Distância – CTEAD, em Belém, nos últimos dias 21 e 22 de novembro.

Na reunião, os presentes puderam conhecer melhor o plano de implementação no IFPA da política de EJA integrada ao ensino técnico profissional – EPT, fruto da proposta da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação – Setec/MEC. O objetivo é que 12 institutos da Rede Federal, selecionados pela secretaria, desenvolvam ações que incrementem a EJA, integrada à educação profissional, em suas respectivas regiões.

Uma vez escolhido, o IFPA precisa cumprir cinco eixos fundamentais do Plano: mobilização da comunidade; oferta de cursos EJA de Formação Inicial e Continuada – FIC para alunos do 8º e 9º anos do ensino fundamental; curso de formação continuada para professores; produção de material pedagógico; monitoramento da permanência; pesquisa e inovação.  

A intenção da PROEN é ofertar, com isso, 1.010 vagas de EJA-FIC-EPT, divididas em 31 turmas, em 18 cursos de formações específicas, iniciados já no primeiro semestre de 2020, a partir de 12 dos seus campi, beneficiando 22 municípios paraenses. E, concomitante a essas ofertas, pretende-se formar 150 professores para atuar na EJA, a partir de agosto do próximo ano, valendo-se da educação a distância – EAD.

 “Temos um desafio muito grande e vamos construir isso com trabalho consistente, regular e contínuo. Dessa forma, vamos alcançar um resultado interessante. Temos que aproveitar esse momento e fazer uma ação que sirva pra construir uma proposta que seja uma experiência para nossas ofertas regulares, em todos os campi, como está no PDI [Plano de Desenvolvimento Institucional]. Agora que temos que aproveitar esse esforço e pensar uma proposta curricular diferente, com uma estratégia de formação para as equipes, para os professores, que funcione”, avaliou a pró-reitora de ensino, Elinilze Teodoro.

De acordo com Gleice Oliveira, chefe do Departamento de Educação Básica da PROEN, já havia planos para que a instituição investisse na EJA nessa linha, incluindo um curso de formação de professores, desde 2016. No entanto, os planos tiveram que ser suspensos temporariamente, encontrando na proposta da Setec o momento ideal para ser retomados.

Formação de professores

Dessa forma, após a apresentação geral do plano, a reunião centrou-se em criar a minuta do documento que regerá o curso de formação continuada em Práticas Pedagógicas Inovadoras para a Educação de Jovens e Adultos.  A ideia é que, a partir da minuta gerada no encontro, o projeto simplificado do curso – PSC fique pronto ainda em dezembro.

“É importante encontrar na Rede esse apoio, porque EJA é um desafio. Há uma ânsia da nossa parte, porque somos cobrados e queremos melhorar essa oferta”, declarou a professora Maria Cristina, representante do IFPA Campus Paragominas e membro do Núcleo Docente Estruturante – NDE do curso.

O curso de aperfeiçoamento para os professores será ofertado na modalidade a distância, sob responsabilidade do CTEAD. “Nosso papel é dar a vocês todo o suporte e a segurança que sejam necessários para que aqueles itens dentro do projeto, que dizem respeito à metodologia de um curso a distância sejam atendidos. Isso terá que ser um processo de diálogo”, proferiu Márcio Wariss, diretor do CTEAD, aos docentes presentes. O diretor esclareceu ainda que o início do curso está previsto apenas para o segundo semestre do próximo ano, após o início da oferta das turmas de EJA pelo programa, pois é necessário tempo hábil para elaboração e produção do curso EAD, prévios à sua realização.

Além disso, estar em sala de aula, já atuando nos cursos ofertados pelo plano, aproxima os professores participantes das vivências com seus alunos. “Uma das coisas que precisamos apresentar ao final desse projeto são as inovações pedagógicas em Educação de Jovens e Adultos. Se não tivermos o momento em que o professor possa estar em campo e fazer uma intervenção lá na sua prática pedagógica, creio que talvez não alcancemos esse objetivo, que é o grande objetivo do projeto”, avalia Gleice Oliveira.

O curso Práticas Pedagógicas Inovadoras para a Educação de Jovens e Adultos tem duração prevista para 6 meses, totalizando 280 horas. No total, serão 150 vagas para docentes do IFPA e da rede pública municipal e estadual, que trabalharão na oferta da EJA por meio do Plano de Implementação da política de EJA integrada ao ensino técnico profissional.

 

Texto: Íris Jatene | Jornalista | IFPA CTEAD

 

 

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página