Ir direto para menu de acessibilidade.
Brasil – Governo Federal | Acesso à informação
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Experiências Exitosas do IFPA são compartilhadas na REDITEC 2022

  • Publicado: Quinta, 10 de Novembro de 2022, 13h13
  • Última atualização em Quinta, 10 de Novembro de 2022, 13h15
  • Acessos: 1075
imagem sem descrição.

 

Quarenta experiências exitosas estão sendo compartilhadas durante os quatro dias da 46ª Reunião dos Dirigentes das Instituições de Educação Profissional e Tecnológica (REDITEC 2022), selecionadas como iniciativas de sucesso nas áreas de Educação no Campo, Extensão, Gestão, Pesquisa e Inovação, Ensino e Internacionalização. Os vídeos contemplam ações realizadas por todo o país e podem servir de inspiração para o desenvolvimento de iniciativas em outros contextos.

O Instituto Federal do Pará, que sedia a Reunião este ano, foi representado por três relatos de experiências exitosas. O projeto “Feira EcooSol Marajó - Feira de Economia Solidária e Cooperativismo do Marajó”, desenvolvido no IFPA Campus Breves, e o projeto “Desvendando o Céu”, do IFPA Campus Bragança, ambos apresentados na área temática Extensão; além do projeto “Ensino de LIBRAS da Portaria ao Restaurante: Capacitação dos servidores e colaboradores do IFPA/Campus Bragança na promoção da inclusão”, apresentado na área temática Ensino.

De acordo com a Prof. Julia Moreau, a Feira EcooSol Marajó surgiu da necessidade de se criar meios de lidar com a vulnerabilidade social dos estudantes para garantir a permanência nos cursos, sobretudo na Licenciatura em Educação do Campo. A alternativa encontrada foi promover o empreendedorismo a partir da comercialização nas dependências do Campus de produtos que os estudantes e suas comunidades já produziam, criando um programa de fidelização dos consumidores locais. “Além de trazer essa renda extra, a gente percebe, quando conversa com os alunos, que eles se sentem valorizados e sentem que seus produtos representam o Marajó. São alunos de comunidades tradicionais, alunos que vivem em reservas extrativistas, muitos ficam a mais 9 horas de navio do Campus. Eles estão agora maravilhados com o trabalho e a renda que a Feira proporcionou a eles”, destacou Julia.

O projeto Desvendando o Céu associou atividades de extensão sobre conhecimentos astronômicos com ações de ensino e de pesquisa junto aos estudantes da Licenciatura em Física, levando equipamentos de observação do espaço para praças públicos de Bragança, no Pará. “Quando eu vi o vídeo sendo mostrado aqui, fiquei muito emocionado porque a dificuldade é enorme. É muito difícil a gente exercer a extensão na área da Astronomia, apesar de ser a ciência mais antiga. Quando o homem começou a pensar, a primeira coisa que o homem fez foi olhar para o céu. Quando a gente olha para o céu, a gente já começa a estudar Astronomia. Entender o nosso universo é fascinante. Explicar para uma criança o movimento da lua, a movimentação do sol, dos planetas, a gente vê o brilho [nos olhos] do jovem, do adolescente. Nós queremos agora trabalhar com as Olimpíadas em Astronomia, não apenas aplicando uma prova no dia da Olimpíada, e sim fazer uma preparação com os alunos da comunidade que não tem acesso ao ensino de qualidade”, explicou o Prof. Fábio Moura, coordenador do projeto.

Acompanhada de uma tradutora-intérprete de Libras, a estudante Talia Vitória, do Curso Técnico de Desenvolvimento de Sistemas integrado ao Ensino Médio, compartilhou a experiência antes e depois do projeto que proporcionou a ela maior integração às atividades pedagógicas e de convivência no Campus Bragança. “No 1º ano, em 2020, não tinha intérprete na sala de aula. Aconteceu a pandemia, foi muito difícil; a gente teve aula online, foi bem complicado. Eu tinha muita dificuldade, não entendia muitas coisas; não tinha interesse, na verdade. Agora eu tenho muita facilidade para compreender os conteúdos. Agora nós temos o curso de Libras para os profissionais do IF. Tem sido muito importante essa prática no Campus”, ressaltou.

Dentre os relatos recebidos, 38% foram enviados por instituições da região sudeste, 23% da região sul, 20% da região nordeste, 12% da região norte e 7% da região Centro-Oeste. Quem se destacou foi o Instituto Federal do Sul de Minas – IFSULDEMINAS, que aprovou oito relatos, correspondente a 20% de todas as experiências apresentadas na REDITEC 2022 e em praticamente todas as áreas temáticas, com exceção da Extensão.

A apresentação de todos os relatos de Experiências Exitosas selecionados para a REDITEC 2022 está sendo realizada ao longo da programação e transmitida pelo canal oficial do IFPA no YouTube.

Acesse aqui a lista de todos os relatos de experiências aprovados.

registrado em:
Fim do conteúdo da página